quarta-feira, 22 de março de 2017

Ela simplesmente se foi...

 "Quando penso em você, fecho os olhos de saudade (...)" Canteiros, Fagner
"(...) Alguém sentado à beira do caminho, jamais entenderá o que é que eu sinto agora Sou levado pelo movimento que tua falta faz Havia tanta paz no teu carinho, na despedida fez um dia lindo (...)" Retrovisor, Fagner

Eu tinha 3 anos, minha mãe 23. Ela foi me visitar na casa da minha avó,  e numa ocasião me contou que tomou um susto quando viu uma pessoinha correndo e dizendo: "a mãe tegou, a mãe tegou"

Com 10 anos,  decidi que ia morar com a minha mãe, que estava com 30 anos,  em São Paulo. Eu queria desfrutar do "bem bom" que minha outra irmã tinha! Que engano, minha mãe ralava tanto que eu mal a via.

 Quando fiz 14 anos, ela tinha 34, toda vigorosa, um mulherão!! Eu olhava atravessado para as roupas e para o jeito que ela se comportava. Eu ficava brava quando ela  me impunha regras e limites sem eu fazer nada, só porque eu a achava muito moderninha pra ser uma mãe.

Aos 18 anos, ela com 38,  tomei  meu primeiro porre de vinho porque estava distraída no computador. Achei que ia apanhar, pois eu era tão certinha e de repente tava lá vomitando bêbada na casa de uma prima. Mas não, ela me levou pra casa e me colocou no chuveiro.

 Aos 25  anos me casei. Minha mãe com 45 não gostou da ideia, dizia que eu tinha que "ferver mais". Achei que estava livre dela, mas bastou nascer a minha  filha para descobrir que o bicho “mãe” se transformara em  “avó”. Ela chegou antes de mim no hospital e vibrou muito quando a bebê nasceu.

Eu me aproximei muito mais dela depois de ser mãe, pude entender que nem tudo eram rosas e  ela me socorria em tudo. Até que ela veio me dizer que estava doente. Como assim? Agora que eu estava conversando mais, entendendo porque ela era do jeito que era?  Só ela tinha um papel de protagonista em algumas situações de minha vida, de minhas crises conjugais e tudo mais. Mas adoeceu. Durante a doença, eu ficava horas conversando e descobrindo o mistério daquela mulher.

 Mas assim, sem mais nem menos, com 49 anos, sem pedir licença ou permissão, sem data marcada ou ocasião para despedida, ela simplesmente se foi.  Hoje me pego sendo quase ela. Criando minha filha, ouvindo músicas que falam de amores mal resolvidos e  músicas alegres que enchem o coração. Ouço até os cantores que ela ouvia e que eu achava brega, comecei este texto com um deles. Termino com um trecho de uma música que ela nunca ouvirá, mas que faz todo sentido neste momento:

 "Segura teu filho no colo Sorria e abrace teus paisEnquanto estão aqui Que a vida é trem-bala, parceiroE a gente é só passageiro prestes a partir" Trem bala, Ana Vilela

    26/04/1960
 🕇25/03/2009 

segunda-feira, 20 de março de 2017

Sobre a crise da carne....

Já  dizia  aquele velho ditado: "Onde se ganha o pão, Não  se come a carne". Mas já  que a carne  é  de papelão, tá  tudo certo galera! Ninguém  será  demitido se namorar o coleguinha de trabalho.

sábado, 18 de março de 2017

Cê Acredita?

E digo de novo: "e não é que tem gente que lê mesmo o que eu escrevo? Cê acredita?"

Comecei a fazer esse blog por diversão, até mesmo porque estou cursando comunicação e queria melhorar minha redação. Na minha sala, já tem gente buscando sua segunda graduação e com uma capacidade de escrever textos incríveis. Eu até fico meio com vergonha das besteiras que escrevo. Eu queria poder ser detalhista, expressiva sei lá meu, escrever que nem gente! (eu ri aqui)
Sou do tipo de pessoa que se me dão o tema "miojo", vou escrever: "O miojo é  um macarrão instantâneo. Para comê-lo, você ferve a água, coloca o macarrão, aguarda uns minutinhos, coloca o tempero e pronto!" Mas geeeente, tenho uma colega que é jornalista formada e outra que está na primeira graduação. As duas, mesmo de diferente formação, escreveriam esse mesmo texto de uma forma que viraria um "best seller", seria mais ou menos assim: "O macarrão instantâneo é adorado por milhões de pessoas. A praticidade e o gosto inconfundível desse macarrão conquistaram todos os países do mundo, mas fazem um sucesso ainda maior em sua nação de origem: o Japão. O popular miojo foi inventado pelo japonês Momofuku Ando (...)" e por aí vai.....
Mas sabe o que mais me intriga nesse papo todo que eu estou falando?? Elas gostam do que eu escrevo!!! "Você tem uma veia cômica" "Eu me acabo de rir quando entro no seu blog" 

Quero deixar minha alegria registrada em saber que tem gente que me leva a sério, e que o que eu achava que era bobeira, traz alegria!! Esse é o intuito do blog, "compartilhar emoções e risadas" 

Muito obrigada!




O texto do miojo retirei do site http://www.sitedecuriosidades.com

sábado, 11 de março de 2017

Por essa eu não esperava...

Eu me disfarço. De óculos  escuros penso que estou  invisível,  daí,  fico ouvindo  conversas! Não  estou no trem, mas no metrô.
Essa eu até  passei da estação  para terminar de ouvir. Comecei a ouvir dois amigos  que entraram  juntos no meu vagão e ficaram do meu lado. Um deles dizia: "Velho, ela é  do tipo de mina que chama a atenção. É alta, magra e me disse que eu ia deixar tudo aquilo  pra ficar de bobeira por aí.. (O outro interrompe) "Velho, então  ela sabe  quem ela é  na fila do pão..." 
 Seguimos viagem e o moço  não  parou de elogiar  a tal moça, que pelo que entendi,  era sua ex-namorada e ele terminou. O amigo  disse uma coisa que eu não  sabia que homens podiam  dizer um para o outro: "Você  é  um vacilão tio, fica de onda por aí querendo  as estrelas,  e acabou perdendo  a lua seu trouxa ..."
 Se eu estava invisível,  perdi a força  ali mesmo .. "Buguei"
(Não  consigo  terminar  esse texto)

sexta-feira, 10 de março de 2017

É nóis que tá

Voltando da Faculdade, já era tarde.
Vejo três senhoritas elegantes, vestidas com alguns pedacinhos de pano (acho que era roupa...) quase não se via. Do outro lado da avenida,  quatro rapazes gritam:

"- Ôs mina, ceis vai colá lá no baile?
E elas: - :Nóis mora lá jow! Tamu colano"
"- Então fechô, é nóis que tá!"

(...)
Meus ouvidos sagraram.. ..

terça-feira, 7 de março de 2017

Calma, mamãe tá chegando!

Estou eu, toda marota na lotação  após  esperar ela chegar, pois demorou muito tempo... Entre uma postagem e outra, uma zoada no Whatsapp aqui e ali, percebi que  tinha coisa  errada. Já estava chovendo  na região  em que moro antes de chover na região que  trabalho. Um grande volume de carros e ônibus  e até  aí  tudo bem. Até  que  após  quase 1 hora e meia, pedi  ajuda pois tinha uma criança  me esperando  em casa e não tive sucesso! "Se vira", pensei.... e fiquei  tentando sair do lugar e  segui o fluxo, andei... andei ... andei... até  me deparar  com um rio... Sabe o que mais me impressionou? A quantidade  de mulheres com celular na mão  dizendo:"calma, a mamãe  tá chegando." Eu era uma delas! "Mãe, tô com fome!" " Faz esse miojo aí, e me espera"
Celular na mão,  registrei o momento  pois vou cobrar  do prefeito  que ajudei a eleger. Agora  estou em Casa  de banho tomando e com um miojo quentinho  na barriga. Cansada??? Muito! Andei  com um saltinho na água suja.. meus pés  doem! Criança tá feliz, deixei ela dormir na minha cama, pois ela estava agoniada me esperando... O despertador  está à postos  para tocar as 5:20 da manhã,  no dia Internacional  da Mulher!
E vida que segue....

segunda-feira, 6 de março de 2017

E tem que ter amor ...

E  não  é  que tem gente que lê  mesmo o que eu escrevo? Faz tempo que não  aparecia  aqui...
Hoje pensei: "escrever o quê? " Daí,  aqui no meu divã  (entenda trem) estou refletindo, pois quero ser melhor como pessoa. É,  mas quando você  decide agir e pensar com amor, parece que o universo  conspira pra te por a prova. Ele quer te lascar, ele coloca  as piores espécies  humanas pra cruzar o seu caminho. E você  reza, pede paciência, suspira... Mas geeeente,  uma mulher pisou no meu pé 3 vezes hoje pela manhã. Eu estava de chinelinho!! Dedinhos vulneráveis!!  Ela,  apoiada no celular, perdia o equilíbrio  e vinha com aquele pezão pra cima do meu... 3 vezes! Eu suspirei fundo e respondia  "foi nada" com a cara de amor (imagine uma cara de amor após  3 pisadelas nos pés). Não  dei conta  de aguardar a quarta pisada,  saí  de perto e me apertei em outro canto.
Agora estou  voltando  pra casa,  de salto alto! Não  vou correr riscos de sair do amor! E se eu pisar sem querer no pé  de algum abençoado nesse trem, será da forma mais amorosa do mundo!


Postagem em destaque

Descanso anual!

Pela CLT, "Férias é o período de descanso anual, que deve ser concedido ao empregado após o exercício de atividades por um ano...&qu...

Gostou disso?